terça-feira, julho 11, 2006

ZIDANE... ou a melhor forma de ser inesquecível



Se alguém me falasse de Zidane há 5 meses atrás eu perguntaria se era o nome de um medicamento para os nervos...
Não sou especialista em bola e nem sequer me interesso muito pelo assunto... mas um Mundial é um Mundial e se Portugal está "in" então o caso ainda pia mais fino.
Sou portuguesa e gosto de ver Portugal dar passos em frente... vibrei com o Mundial mas já tinha vibrado com o Euro...
Sou mulher e por isso sei quem é o Figo e mais meia dúzia deles mas são registos leves de rostos mediáticos.
Zidane... marcou o pénalti que deu início ao nosso regresso a casa... mas isso ainda é o menos eu na realidade não gosto da cara do Zidane... existe raiva no olhar.
Dizem os antigos que os olhos são o espelho da alma e eu estou plenamente de acordo. O olhar deste homem é frio, duro. O nosso Figo ao lado dele é quente, afável e tem um sorriso convidativo a uma conversa.
Zidane transpira arrogância embora possa até ser um doce de pessoa, mas não é essa a imagem que vende. Tem estampado no rosto o homem duro que não admite baixar a cabeça.
Assim sendo temos meio caminho andado na minha modesta opinião que nada tem a ver com os comentários desportivos, nada percebo de desporto nem tenho pretensões a tal mas gosto de ver um espectáculo leal e com regras onde existe igualdade nos julgamentos.
Zidane preparou a ofensiva, é visível no filme que as televisões podem repetir porque está gravado... ele recua... cria balanço como um touro e atira-se como um lutador em arena romana...
Percebo que era um jogador italiano, que o Zidane de tanto cansaço e empenho estivesse à beira de um ataque de nervos mas o homem é um profissional de carreira e como tal não pode perder a cabeça e os circos romanos já acabaram há muitos anos.
Vamos por o caso de outra maneira... temos um médico fabuloso, brilhante com uma carreira sem nódoas e um dia mata um paciente por inércia ou distração... está desculpado digo eu... e depois damos-lhe o Nobel da Medicina... coitado estava cansado!...
Temos um condutor de autocarros... sem uma multa, com prémios de boa conduta e anos de condução sem acidentes... um dia bebe e entra em competição com outro condutor esquecendo que dentro leva passageiros... tem um acidente... está desculpado e que tal um prémio de conduta ao volante?
Temos um agricultor... bom homem, trabalhador, pessoa simples e um dia o vizinho chama nomes à mulher dele... diz que dorme com ela, que ele é cornudo e tudo o mais que uma pessoa pode dizer para ofender outra. O nosso agricultor cansado de lavrar no campo dá uma cabeçada no outro ou dá-lhe com uma pá que está ali à mão ou dá-lhe um tiro... ninguém me vai dizer que o homem vai ser condenado.
Pois foi isso mesmo que fizeram... bola de ouro para um agressor e desordeiro que se enerva com os palavrões de um italiano... era muito bom jogador... pois era é passado e eu vivo no presente e não quero que os maus exemplos sejam brindados com prémios porque se eu tivesse 15 anos não ia perceber porque era castigado quando batia num colega se até tinha boas notas...
Esta é a minha opinião e como tal acho que os senhores do Mundial funcionaram como uma espécie de confessionário onde se manda rezar Aves-Marias para perdoar pecados... expulsam o Zidane e ficam perdoados os pecados porque ele até chorou ao descer as escadas para os balneários... coitadinho, que pena que eu tenho dele.


"How could that happen to a man like you?'' the column asked. "What do we tell our children and all those for whom you were the living role model for all times?''...
... It only proves a simple point: it is much tougher to live as a shining example, than to be known as a temperamental superstar. Bad actors get a free pass when they do something classless and bone-headed. We don't expect any more from a known jerk...
... The image of him crashing into Materazzi will follow him to the end of his life. ...

tirado de: www.sfgate.com/.../ 2006/07/10/zidane.jpg

Una despedida negra. Con el Mundial de Alemania la carrera de Zidane ingresaba en la recta final, pero nadie imaginó el desenlace que tuvo. Una brutal agresión sobre Materazzi le valió la expulsión, para cerrar su carrera de la peor forma. Este partido, que será recordado como epílogo a sus 17 años de carrera, seguramente no sea el mejor recuerdo

Por Juan Pablo Bacino
De la Redacción de LANACION.com
jbacino@lanacion.com.ar

1 comentário:

ddumping disse...

Here are some links that I believe will be interested