terça-feira, dezembro 30, 2008

quarta-feira, dezembro 17, 2008

até dá fome...


esta forma de comunicar com o consumidor

sexta-feira, dezembro 12, 2008

Ao Ricardo Velez a minha singela homenagem



Homem de convições fortes, combativo, de presença marcante...
Se o Ricardo estava a mesa crescia de tom porque a sua voz de trovão fazia-se ouvir e as suas gargalhadas eram inconfundiveis...
De bom coração... emprestava, ajudava e participava... vivia rodeado da cor que faz a vida, presença calorosa em qualquer actividade...
É uma perda para todos os que tiveram o prazer de privar com ele...
Não havia meio termo para este homem... ou se amava ou se odiava porque era impossivél ser indiferente
Até um dia destes amigo RICARDO deixo os teus olhos azuis que um dia eu consegui convencer a pintar para fazer uma retrato diferente

Ao RICARDO VELEZ - Pela mão do Daniel

Um homem forte como uma tempestade
Irrequieto, incapaz de conter o que carregava no peito,
de traços fortes com os quais fundamentou em nós a amizade que advém da convivência de quem troca três dedos de conversa, e quando damos por nós essa conversa...é amizade, é sinceridade. O Ricardo é assim.
Ricardo, Lisboa ama-te.

O Ricardo faleceu ontem,
a quem o conheceu,
quem com ele privou,
de máquina ao peito
no teatro,
nas tertúlias,
no dom da palavra,
nas conversas alongadas com um homem de voz forte,
um amante de Lisboa,
um apaixonado pelo palco e pela vida
viveu momentos de paixão, de bonança e nunca de indiferença.

Momentos genuínos,
fascinantes,
sinceros que trazem a saudade,

...ficam os olhos de um azul imenso, como o seu génio, como a sua bonança.

À Maria, sua amada filha, em nome do IRIS-movimento fotográfico as nossas condolências, a nossa saudade imensa em cada um.

Daniel

segunda-feira, novembro 03, 2008

Coitadinhos os desgraçadinhos corre-lhes mal a vida...


Um dos motivos porque o Governo se tornou fiador até 20 mil milhões de Euros de transacções intra bancárias.... os de hoje vão estar como gestores da banca amanhã pois os de ontem... estão por lá hoje...



PARA QUE A PLEBE SAIBA:

Fernando Nogueira:
Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa
Agora - Presidente do BCP Angola

José de Oliveira e Costa:
Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)

Rui Machete:
Antes - Ministro dos Assuntos Sociais
Agora - Presidente do Conselho Superior do BPN; Presidente do Conselho Executivo da FLAD

Armando Vara:
Antes - Ministro adjunto do Primeiro Ministro
Agora - Vice-Presidente do BCP

Paulo Teixeira Pinto:
Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de 3 anos de 'trabalho', Saiu com 10 milhões de indemnização !!! e mais 35.000€ x 15 meses por ano até morrer...)

António Vitorino:
Antes -Ministro da Presidência e da Defesa
Agora -Vice-Presidente da PT Internacional; Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta - (e ainda umas 'patacas' como comentador RTP)

Celeste Cardona:
Antes - Ministra da Justiça
Agora - Vogal do CA da CGD

José Silveira Godinho:
Antes - Secretário de Estado das Finanças
Agora - Administrador do BES

João de Deus Pinheiro:
Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros
Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português.

Elias da Costa:
Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação -
Agora - Vogal do CA do BES

Ferreira do Amaral:
Antes - Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira à Lusoponte)
Agora - Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato.

etc etc etc...

O que é isto ?
cunha ?
gamanço ?


- Não, não é a América Latina, nem Angola. É Portugal no seu esplendor .




...e depois até querem que se declarem as prendas de casamento e o seu valor .

Já é tempo de parar!
Não te cales,
DENUNCIA!

sexta-feira, outubro 31, 2008

Paulo Pedroso e os amiguinhos - para relembrar




O que está a fazer o Paulo Pedroso na sua vida profissional neste momento?
Onde está o amigo Ferro?
Na minha terra costumam dizer que tão ladrão é o que rouba como o que fica á porta...

quarta-feira, outubro 29, 2008

Barbara Uderzo... criou


Anéis para gulosos

Porque o frio entrou sem bater...


ANTÓNIO LOBO ANTUNES

(Sátira aos HOMENS quando estão com gripe)

Pachos na testa, terço na mão,

Uma botija, chá de limão,

Zaragatoas, vinho com mel,

Três aspirinas, creme na pele

Grito de medo, chamo a mulher.

Ai Lurdes que vou morrer.

Mede-me a febre, olha-me a goela,

Cala os miúdos, fecha a janela,

Não quero canja, nem a salada,

Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.

Se tu sonhasses como me sinto,

Já vejo a morte nunca te minto,

Já vejo o inferno, chamas, diabos,

Anjos estranhos, cornos e rabos,

Vejo demónios nas suas danças

Tigres sem listras, bodes sem tranças

Choros de coruja, risos de grilo

Ai Lurdes, Lurdes fica comigo

Não é o pingo de uma torneira,

Põe-me a Santinha à cabeceira,

Compõe-me a colcha, Fala ao prior,

Pousa o Jesus no cobertor.

Chama o Doutor, passa a chamada,

Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.

Faz-me tisana e pão de ló,

Não te levantes que fico só,

Aqui sózinho a apodrecer,

Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.

quarta-feira, outubro 22, 2008

ANEDOTA em que se transformou o nosso País:


Pequenos apontamentos da caricatura em que se transformou o nosso país. Enviaram-me por e-mail e eu resolvi publicar aqui para todos aqueles que como eu não aguentam mais os idiotas que fazem parte do governo deste Portugal dos pequeninos...


- Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode pôr um piercing.
- Um jovem de 18 anos recebe 200 EUR do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma 236 EUR depois de toda uma vida do trabalho.
- Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco. - O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.
- Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.
- Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa á das causas sociais.
- O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e empregados. No Fórum Montijo a WC da Pizza Hut fica a 100 mts e não tem local para lavar mãos.
- O governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).
- Nas prisões é distribuído gratuitamente seringas por causa do HIV, mas é proibido consumir droga nas prisões!
- No exame final de 12º ano és apanhado a copiar chumbas o ano, o primeiro-ministro fez o exame de inglês técnico em casa e mandou por fax e é engenheiro.
- Um jovem de 14 mata um adulto, não tem idade para ir a tribunal. Um jovem de 15 leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga, é violência doméstica!
- Uma família a quem a casa ruiu e não tem dinheiro para comprar outra, o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme podem. 6 presos que mataram e violaram idosos vivem numa sela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e associação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.
- Militares que combateram em África a mando do governo da época na defesa de território nacional não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, mas o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no KOSOVO, AFEGANISTÃO E IRAQUE.
- Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto do ano que vem, não pagas as finanças a tempo e horas passado um dia já estas a pagar juros.
- Fechas a janela da tua varanda e estás a fazer uma obra ilegal, constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.
- Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos o pões a trabalhar contigo num oficio respeitável, é exploração do trabalho infantil, se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais, a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe!
-Numa farmacia pagas 0.50 EUR por uma seringa que se usa para dar um medicamento a uma criança. Se fosse drogado, não pagava nada!
Obrigada Portugal. Estamos orgulhosos.

Feito por Marcio Figueira

sexta-feira, outubro 17, 2008

JUSTIÇA PORTUGUESA - DIVULGUEM


QUEM CALA, CONSENTE
- Processo Casa Pia: nada
- Processo Apito Dourado: nada
- Assassinatos de seguranças na noite: nada
- Caso Maddie: nada (com direito a humilhaçãozinha no estrangeiro...)
- Caso Freeport: nada
- Caso dos sobreiros PP: nada
- Caso BCP: nada
- Caso Vale e Azevedo: nada
- Operação Furacão: nada

Mas soube-se prender um jovem que fez um download de música ...YEAAAAAAAAH!...

Primeiro português condenado à prisão por pirataria musical na Internet!...

Indivíduo poderá passar entre 60 a 90 dias atrás das grades por ter feito o download e partilhado música ilegalmente!...

Somos muito à frente.................

Porque nós somos um país de gente com sentido de humor



Vais ter relações sexuais?

O governo dá preservativo

Já tiveste?

O governo dá a pílula do dia seguinte

Engravidou?

O governo dá o aborto

Teve filho?

O governo dá o Bolsa Família

Tá desempregado?

O governo dá Bolsa Desemprego

És viciado e não gostas de trabalhar?

O governo dá rendimento mínimo garantido!

AGORA...

Experimenta estudar, trabalhar, produzir e andar na linha pra ver o> que é que te acontece VAIS GANHAR UMA BOLSA DE IMPOSTOS NUNCA VISTA EM LUGAR ALGUM DO MUNDO!!!!!

PARABÉNS TROUXA !!!

sexta-feira, outubro 10, 2008

URBANARTES


URBANARTES

Feira de Artesanato Urbano em Alvalade

frente á Igreja de S. João de Brito ao 3º sábado de cada mês

Apareçam

quarta-feira, outubro 08, 2008

assim vai o país... e ele ainda ri


- Portugal tem o terceiro preço da gasolina mais caro da Europa e o décimo no gasóleo, ambos acima da média da União Europeia... nós somos os maiores

- Um polícia que tenha um acidente com um automóvel da PSP no cumprimento do seu serviço poderá ser obrigado a pagar os danos das viaturas envolvidas e na via pública, ao abrigo do Regime de Responsabilidade Civil Extracontratual do Estado e Demais Entidades Públicas... por isso é que não á perseguições policiáis em Portugal... só na Fox Crime

- Advogada Vera Sampaio (terminou o curso com média de 10 val) com uma carreira de 'dezenas de anos e larga experiência' foi contratada como assessora pelo membro do Governo, Senhor Doutor Manuel Pedro Cunha daSilva Pereira, distinto Ministro da Presidência.... e o irmão é consultor da Portugal Telecom... será que o pai das criaturas teve alguma coisa a ver com isto?

- A Bolsa de Lisboa sofreu ontem a maior queda numa só sessão (9,86 por cento) desde a criação do índice PSI 20, em 1993.

- O Governo delegou no Banco de Portugal (BdP) a responsabilidade de conceber um plano de emergência para acudir às instituições financeiras que sejam atingidas pela crise financeira... e quando tem muitos lucros como é que é?

terça-feira, outubro 07, 2008

O Magalhães e o Sócrates


Consta que o famoso "Magalhães" não é afinal aquilo que aparenta... quem estará a falar verdade?


*** Magalhães ***
o mais escandaloso golpe de propaganda do ano


Os noticiários abriram há dias, com pompa e circunstância, anunciando o lançamento do 'Primeiro computador portátil português', o 'Magalhães'.A RTP refere que é 'um projecto português produzido em Portugal'


Na realidade, só com muito boa vontade é que o que foi dito e escrito é verdadeiro. O projecto não teve origem em Portugal, já existe desde 2006 e é da responsabilidade da Intel. Chama-se Classmate PC e é um laptop de baixo custo destinado ao terceiro mundo e já é vendido há muito tempo através da Amazon.

As notícias foram cuidadosamente feitas de forma a dar ideia que o 'Magalhães' é algo de completamente novo e com origem em Portugal. Não é verdade. Felizmente, existem alguns blogues atentos. Na imprensa escrita salvou-se, que se tenha dado conta, a notícia do Portugal Diário: 'Tirando o nome, o logótipo e a capa exterior, tudo o resto é idêntico ao produto que a Intel tem estado a vender em várias partes do mundo desde 2006. Aliás, esta é já a segunda versão do produto.'

Pelos vistos, o jornalista Filipe Caetano foi o único a fazer um trabalhinho de investigação em vez de reproduzir o comunicado de imprensa do Governo.
A ideia é destruir os esforços de Negroponte para o OLPC.
O criador do MIT Media Lab criou esta inovação, o portátil de 100 dólares...A Intel foi um dos parcceiros até ver o seu concorrente AND ser escolhida como fornecedor. Saiu do consórcio e criou o Classmate, que está a tentar impor aos países em desenvolvimento.
Sócrates acaba de aliar-se, SEM CONCURSO, à Intel, para destruir o projecto de Negroponte. A JP Sá Couto, que ja fazia os Tsumanis, tem assim, SEM CONCURSO, todo o mercado nacional do primeiro ciclo.
Tudo se justifica em nome de um número de propaganda política terceiro-mundista.
Para os pivots (ex-jornalistas?) Rodrigues dos Santos ou José Alberto Carvalho, o importante é debitar chavões propagandísticos em vez de fazer perguntas.
Se não fosse a blogosfera - que o ministro Santos Silva ainda não controla - esta propaganda não seria desmascarada. Os jornalistas da imprensa tradicional têm vindo a revelar-se de uma ignorância, seguidismo e preguiça atroz.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nicholas_Negroponte#O_PC_de_USD_100


Chávez firmou encomenda de portáteis Magalhães
Portugal e a Venezuela assinaram, este sábado, acordos para a venda de um milhão de computadores Magalhães e a construção de 50 mil fogos de habitação social, envolvendo valores que rondam os três mil milhões de dólares.
Relativamente ao acordo assinado entre o Ministério do Poder Popular para as Telecomunicações e a Informática (MPPTI) e a empresa Youtsu (consórcio JP Sá Couto/Prológica), está previsto o fornecimento de equipamento, serviços e aplicações e transferência tecnológica, plano que inclui ainda a venda de um milhão de computadores Magalhães produzidos em Portugal.
Os Magalhães serão entregues à Venezuela de forma faseada, a partir de Dezembro de 2008.Ainda no âmbito do sector da Educação, o ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, e a ministra Socorro Hernandez, do MPPTI, assinaram o acordo "Plano Directivo de Acciones", através do qual será constituído um grupo de acompanhamento da "Iniciativa Magalhães".
Na cerimónia que teve lugar em FIL de Lisboa, e que foi presidida pelo primeiro-ministro português, José Sócrates, e pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, foi também celebrado um contrato entre o ministério do "Poder Popular para La Vivienda e Habitat" e a empresa portuguesa LENA, para a construção e instalação no terreno de 50 mil casas de habitação social pré-fabricadas.Das 50 mil casas, 15 mil serão produzidas em Portugal e 35 mil serão produzidas na Venezuela.
Este contrato envolve ainda a instalação de fábricas na Venezuela, bem como a transferência de tecnologia e a formação de trabalhadores daquele país da América Latina.
No final da cerimónia, o primeiro-ministro, José Sócrates, salientou a importância do "trabalho político" que tem sido desenvolvido por Portugal e pela Venezuela, destacando os "muitos resultados" produzidos.

Fonte:JN Online

sexta-feira, setembro 26, 2008

Sem perder pitada do que se passa á nossa volta...





Desenhado por Monica Bonvicini, a pensar na vida actual em que não se pode perder nem um minuto do que se passa á nossa volta, surge esta casa de banho pública que ironicamente permite uma observação directa da vida mesmo quando se está com outras aflições...

quinta-feira, setembro 25, 2008

José Manuel Ballester











Imaginar o "Jardim das Delicias" na completa solidão humana, a anunciação de Fran Angélico em que a Virgem e o anjo não estão presentes na cena ou a Paisagem de Inverno de Pieter Brueghel onde os patinadores deixaram de existir... é a proposta que o artista José Manuel Ballester apresentou e que nos surprende pela perfeição com que recria cada um dos orginais.


O artista José Manuel Ballester pegou em alguns quadros que se encontram expostos no Museo do Prado e despojou-os de qualquer movimento abulindo toda e qualquer presença humana ou animal.


O resultado é uma homenagem ao vazio, uma colecção de paisagens desabitadas que comovem pela sua solidão.


O abandono tomou conta destes lugares e a memória vaguea no espaço tentando recordar as figuras que agora são apenas fantasmas presos na nossas referências pictóricas.
No link podem ver mais das obras surpreendentes deste artista espanhol.

terça-feira, setembro 23, 2008

Maria Keil e o Metro



RECEBI MAIS ESTE ACONTECIMENTO DA RÉPUBLICA DAS BANANAS POR E-MAIL E RESOLVI PUBLICAR PORQUE REALMENTE SÓ AQUI É QUE SE FAZES DESTAS COISAS...

Maria Keil (gosta que a tratem apenas por Maria) nasceu na cidade de Silves, em 1914. Partilhou a maior parte da sua vida com o arquitecto Francisco Keil do Amaral, com quem se casou, muito jovem, em 1933.
De lá para cá fez milhares de coisas, sobretudo ilustrações, que se podem encontrar em revistas como a “Seara Nova”, livros para adultos e “toneladas” de livros infantis, os de Matilde Rosa Araújo, por exemplo, são em grande quantidade. Está quase a chegar aos 100 anos de idade de uma vida cheia, que nos primeiros tempos teve alguns “sobressaltos”, umas proibições de quadros aqui, uma prisão pela PIDE, ali... as coisas normais para um certo “tipo de pessoas” no tempo do fascismo.

Para esta “história”, no entanto, o que me interessa são os seus azulejos. São aos milhares, em painéis monumentais, espalhados por variadíssimos locais. Uma das maiores contribuições de Maria Keil para a azulejaria lisboeta, foi exactamente para o Metropolitano de Lisboa. Para fugir ao figurativo, que não era o desejado pelos arquitectos do Metro, a Maria Keil partiu para o apuramento das formas geométricas que conseguiram, pelo uso da cor e génio da artista, quebrar a monotonia cinzenta das galerias de cimento armado das primeiras 19, sim, dezanove estações de Metropolitano. Como o marido estava ligado aos trabalhos de arquitectura das estações e conhecendo a fatal “falta de verba” que se fazia sentir, o Metro lá teve de pagar os azulejos, em grande parte fabricados na famosa fábrica de cerâmica “Viúva Lamego”, mas o trabalho insano da criação e pintura dos painéis... ficou de borla. Exactamente! Maria Keil decidiu oferecer o seu enorme trabalho à cidade de Lisboa e ao seu “jovem” Metropolitano.
Estes pormenores das estações do “Intendente” (1966) e “Restauradores” (1959), são bons exemplos.

Parêntesis: Qualquer alteração na “Gare do Oriente” do Arq. Calatrava, ou nas Torres das Amoreiras, do Arq. Tomás Taveira, só a título de exemplo, têm de ser encomendadas ao arquitecto que as fez e mesmo assim, ele pode recusar-se a alterar a sua obra original. Se os donos da obra avançarem para a alteração sem o acordo do autor, podem ter por garantido um belo processo em tribunal, que acabará numa “salgada” indemnização ao autor.

Finalmente, a história! Recentemente a Metro de Lisboa decidiu remodelar, modernizar, ampliar, etc, várias das estações mais antigas e não foram de modas. Avançaram para as paredes e sem dizer água vai, picaram-nas sem se dar ao trabalho de (antes) retirar os painéis de azulejos, ou ao incómodo de dar uma palavra que fosse à autora dos ditos. Mais tarde, depois da obra irremediavelmente destruída, alguém se encarregaria de apresentar umas desculpas esfarrapadas e “compreender” a tristeza da artista.
A parte “realmente boa” desta (já longa) história é que ao contrário de quase todos os arquitectos, engenheiros, escultores, pintores e quem quer que seja que veja uma sua obra pública alterada ou destruída sem o seu consentimento, Maria Keil não tem direito a qualquer indemnização.
E porquê?
“Porque na Metro de Lisboa há juristas muito bons, que descobriram não ser obrigatório pedir nada, nem indemnizar a autora, de forma nenhuma... exactamente porque ela não cobrou um tostão que fosse pela sua obra!!!

Este país, por vezes consegue ser “ainda mais extraordinário” do que é o seu costume! Ou não?

terça-feira, setembro 02, 2008

IKEA... uma boa forma de publicitar







e agora que já deve de estar por aí o novo catálogo do IKEA deixo aqui algumas fotos de uma apresentação do IKEA no monocarril Kobe Portliner de Port Island onde decoraram carruagens de metro... o resultado foi este

segunda-feira, setembro 01, 2008

Acabaram-se as férias... toca a trabalhar


... embora ainda haja quem não tenha feito férias

E acabou-se o sossego em Lisboa, acabou-se a viagem tranquila sem filas para o emprego, acabaram-se as boas vagas de estacionamento, os centros comerciais com espaço e ar para poder caminhar lentamente enquanto se procura uma qualquer pechincha nos saldos que ainda restam... agora só para o ano teremos novamente esta tranquilidade de país a meio gás.

terça-feira, agosto 05, 2008

e antes de fechar para férias... os jogos olímpicos

Os I Jogos Olímpicos da Era Moderna foram realizados em Atenas, Grécia, berço dos jogos da antiguidade, entre os dias 6 e 15 de abril de 1896, com a participação de 241 atletas, todos homens, representando catorze países, graças ao empenho visionário do francês Pierre de Frédy, o Barão de Coubertin, idealizador do renascimento dos jogos existentes na Grécia antiga, mentor do movimento olímpico e fundador do Comitê Olímpico Internacional.
Sem qualquer experiência na organização de semelhante evento, os organizadores dos primeiros jogos quase arruinaram a própria competição, graças a uma diversidade de datas, pois os gregos utilizavam então o antigo calendário juliano paralelo ao convencional usado pela civilização ocidental, fazendo com que ocorresse uma diferença de doze dias entre ambos, o que atrapalhou a inauguração dos Jogos e a chegada dos atletas dos diversos pontos do planeta.
A cerimônia de inauguração acabou acontecendo num domingo de Páscoa, com o discurso de abertura proferido diante de cem mil espectadores pelo próprio Jorge I, da Grécia, após a inauguração de uma estátua – que existe até os dias de hoje – na entrada do Estádio Panathinaiko, principal palco das competições e uma maravilha arquitetônica toda de mármore, em homenagem ao rico financista ateniense Georgius Averoff, responsável pela restauração e modernização do estádio e financiador da organização do evento, o que impediu seu cancelamento antes mesmo de iniciado, devido às penosas condições do cerário real grego.

A chama Olímpica, fogo Olímpico ou ainda tocha olímpica, é um dos símbolos dos Jogos Olímpicos, e evoca a lenda de Prometeu que teria roubado o fogo a Zeus para o entregar aos mortais. Durante a celebração dos Jogos Olímpicos da antiguidade, em Olímpia, mantinha-se aceso um fogo que ardia enquanto durassem as competições, sendo esta tradição reintroduzida nos Jogos Olímpicos de Verão de 1928. Nos Jogos Olímpicos de Verão de 1936, foi pela primeira vez realizada uma estafeta de atletas para transportar uma tocha com a chama, desde as ruínas do templo de Hera em Olímpia, até ao estádio olímpico de Berlim.
A tradição da tocha olímpica ser acesa na Grécia e levada de mão em mão até a cerimônia de abertura surgiu em um momento em que os Jogos foram usados contra seus próprios ideais. Adolf Hitler, em vez de usar as Olimpíadas para pregar a união entre os povos, queria que os Jogos de Berlim-1936 provassem a “supremacia” da raça ariana.

quinta-feira, julho 31, 2008

Algumas verdades ditas pela Clara Ferreira Alves para quem não lê o Expresso







Ainda bem que alguém se lembra de fazer um apanhado de todos os pendentes judiciais deste país a brincar aos países democraticos...












A justiça portuguesa não é apenas cega, é surda, muda, coxa e marreca Clara Ferreira Alves



Expresso






Portugal tem um défice de responsabilidade civil, criminal e moral muito maior do que o seu défice financeiro, e nenhum português se preocupa com isso apesar de pagar os custos da morosidade, do secretismo, do encobrimento, do compadrio e da corrupção. Os portugueses, na sua infinita e pacata desordem existencial, acham tudo "normal" e encolhem os ombros.
Por uma vez gostava que em Portugal alguma coisa tivesse um fim, ponto final, assunto arrumado. Não se fala mais nisso. Vivemos no país mais inconclusivo do mundo, em permanente agitação sobre tudo e sem concluir nada.Desde os Templários e as obras de Santa Engrácia, que se sabe que, nada acaba em Portugal, nada é levado às últimas consequências, nada é definitivo e tudo é improvisado, temporário, desenrascado.
Da morte de Francisco Sá Carneiro e do eterno mistério que a rodeia, foi crime, não foi crime, ao desaparecimento de Madeleine McCann ou ao caso Casa Pia, sabemos de antemão que nunca saberemos o fim destas histórias, nem o que verdadeiramente se passou nem quem são os criminosos ou quantos crimes houve.



Tudo a que temos direito são informações caídas a conta-gotas, pedaços de enigma, peças do quebra-cabeças. E habituámo-nos a prescindir de apurar a verdade porque intimamente achamos que não saber o final da história é uma coisa normal em Portugal e que este é um país onde as coisas importantes são "abafadas", como se vivêssemos ainda em ditadura.



E os novos códigos Penal e de Processo Penal em nada vão mudar este estado de coisas. Apesar dos jornais e das televisões, dos blogs, doscomputadores e da Internet, apesar de termos acesso em tempo real ao maior número de notícias de sempre, continuamos sem saber nada, e esperando nunca vir a saber com toda a naturalidade.
Do caso Portucale à Operação Furacão, da compra dos submarinos às escutas ao primeiro-ministro, do caso da Universidade Independente ao caso da Universidade Moderna, do Futebol Clube do Porto ao Sport Lisboa Benfica, da corrupção dos árbitros à corrupção dos autarcas, de Fátima Felgueiras a Isaltino Morais, da Braga parques ao grande empresário Bibi, das queixas tardias de Catalina Pestana às de João Cravinho, há por aí alguém que acredite que algum destes secretos arquivos e seus possíveis e alegados, muitos alegados crimes, acabem por ser investigados, julgados e devidamente punidos?
Vale e Azevedo pagou por todos.



Quem se lembra dos doentes infectados por acidente e negligência de Leonor Beleza com o vírus da sida?



Quem se lembra do miúdo electrocutado no semáforo e do outro afogado num parque aquático?



Quem se lembra das crianças assassinadas na Madeira e do mistério dos crimes imputados ao padre Frederico?



Quem se lembra que um dos raros condenados em Portugal, o mesmo padre Frederico, acabou a passear no Calçadão de Copacabana?



Quem se lembra do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja cabeça foi roubada do Instituto de Medicina Legal?
Em todos estes casos, e muitos outros, menos falados e tão sombrios e enrodilhados como estes, a verdade a que tivemos direito foi nenhuma.



No caso McCann, cujos desenvolvimentos vão do escabroso ao incrível, alguém acredita que se venha a descobrir o corpo da criança ou a condenar alguém?



As últimas notícias dizem que Gerry McCann não seria pai biológico da criança, contribuindo para a confusão desta investigação em que a Polícia espalha rumores e indícios que não têm substância.



E a miúda desaparecida em Figueira? O que lhe aconteceu? E todas as crianças desaparecida antes delas, quem as procurou?



E o processo do Parque, onde tantos clientes buscavam prostitutos, alguns menores, onde tanta gente "importante" estava envolvida, o que aconteceu?Arranjou-se um bode expiatório, foi o que aconteceu.
E as famosas fotografias de Teresa Costa Macedo? Aquelas em que ela reconheceu imensa gente "importante", jogadores de futebol, milionários, políticos, onde estão? Foram destruídas? Quem as destruiu e porquê?



E os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran mais os negócios escuros do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal, onde é que isso pára? O mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz, apeado por causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para a sua filha.



E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter assassinado doentes por negligência? Exerce medicina?
E os que sobram e todos os dias vão praticando os seus crimes de colarinho branco sabendo que a justiça portuguesa não é apenas cega, é surda, muda, coxa e marreca.



Passado o prazo da intriga e do sensacionalismo, todos estes casos são arquivados nas gavetas das nossas consciências e condenados ao esquecimento.



Ninguém quer saber a verdade. Ou, pelo menos, tentar saber a verdade.



Nunca saberemos a verdade sobre o caso Casa Pia, nem saberemos quem eram as redes e os "senhores importantes" que abusaram, abusam e abusarão de crianças em Portugal, sejam rapazes ou raparigas, visto que os abusos sobre meninas ficaram sempre na sombra.
Existe em Portugal uma camada subterrânea de segredos e injustiças, de protecções e lavagens, de corporações e famílias, de eminências ereputações, de dinheiros e negociações que impede a escavação da verdade.



Este é o maior fracasso da democracia portuguesa
Clara Ferreira Alves - "Expresso"

Os preservativos, as prostitutas na Rua onde as árvore pingam mel e o drama dos ciganos sem casa




E Julho chega ao fim, ora está sol, ora está nublado mas o calor é fatal.

As árvores nas R. Castilho atacadas de bicho desenvolvem um processo químico que se transforma em gotas resinosas que vão caindo sobre os carros, quais pigos de mel, que se escondem na sombra das mesmas em lugares de estacionamento pagos a peso de ouro á EMEL.
A Câmara já foi avisada mas faz orelhas mocas que está muito calor para trabalhar e assim quando entro para o carro ao fim da tarde interrogo-me se não será agora que o sistema eléctrico dos vidros vai deixar de funcionar, isto porque a pintura do carro já está condenada.
Os pés colam ao chão e os preservativos de cores diversas decoram esta rua que não vê limpeza há algum tempo... assim sempre os turistas que se deslocam por aqui podem levar como recordação sandálias peganhentas e o colorido do látex que foi produto de brincadeiras sexy entre prostitutas e seus clientes por entre as árvores desta rua...
Está calor e os noticiarios repetem o drama dos ciganos que querem uma casa nova (eu também queria) porque a vizinhança não lhes agrada, pelo que gostariam de poder viver numa ciganotown onde não houvesse ninguém com uma coloração mais forte na pele do que a dos próprios... entretanto a mãe da desaparecida Maddie enfurece-se com a PJ por causa de um café e puxa os galões que a mantém sempre, desde há 1 ano, nas páginas dos jornais... viva a política inglesa... devolvam-nos os piratas de perna de pau e pala no olho que deram origem á velha Inglaterra, que esses pelo menos já sabemos o que são.
Deixo aqui uma crónica muito esclarecedora da miséria cigana escrita pelo colonista Mário Crespo

Limpeza étnica
00h30m
O homem, jovem, movimentava-se num desespero agitado entre um grupo de mulheres vestidas de negro que ululavam lamentos. "Perdi tudo!" "O que é que perdeu?" perguntou-lhe um repórter.

"Entraram-me em casa, espatifaram tudo. Levaram o plasma, o DVD a aparelhagem..." Esta foi uma das esclarecedoras declarações dos autodesalojados da Quinta da Fonte. A imagem do absurdo em que a assistência social se tornou em Portugal fica clara quando é complementada com as informações do presidente da Câmara de Loures: uma elevadíssima percentagem da população do bairro recebe rendimento de inserção social e paga "quatro ou cinco euros de renda mensal" pelas habitações camarárias. Dias depois, noutra reportagem outro jovem adulto mostrava a sua casa vandalizada, apontando a sala de onde tinham levado a TV e os DVD. A seguir, transtornadíssimo, ia ao que tinha sido o quarto dos filhos dizendo que "até a TV e a playstation das crianças" lhe tinham roubado. Neste país, tão cheio de dificuldades para quem tem rendimentos declarados, dinheiro público não pode continuar a ser desviado para sustentar predadores profissionais dos fundos constituídos em boa fé para atender a situações excepcionais de carência. A culpa não é só de quem usufrui desses dinheiros. A principal responsabilidade destes desvios cai sobre os oportunismos políticos que à custa destas bizarras benesses, compraram votos de Norte a Sul. É inexplicável num país de economias domésticas esfrangalhadas por uma Euribor com freio nos dentes que há famílias que pagam "quatro ou cinco Euros de renda" à câmara de Loures e no fim do mês recebem o rendimento social de inserção que, se habilmente requerido por um grupo familiar de cinco ou seis pessoas, atinge quantias muito acima do ordenado mínimo. É inaceitável que estes beneficiários de tudo e mais alguma coisa ainda querem que os seus T2 e T3 a "quatro ou cinco euros mensais" lhes sejam dados em zonas "onde não haja pretos". Não é o sistema em Portugal que marginaliza comunidades. O sistema é que se tem vindo a alhear da realidade e da decência e agora é confrontado por elas em plena rua com manifestações de índole intoleravelmente racista e saraivadas de balas de grande calibre disparadas com impunidade. O país inteiro viu uma dezena de homens armados a fazer fogo na via pública. Não foram detidos embora sejam facilmente identificáveis. Pelo contrário. Do silêncio cúmplice do grupo de marginais sai eloquente uma mensagem de ameaça de contorno criminoso - "ou nos dão uma zona etnicamente limpa ou matamos." A resposta do Estado veio numa patética distribuição de flores a cabecilhas de gangs de traficantes e autodenominados representantes comunitários, entre os sorrisos da resignação embaraçada dos responsáveis autárquicos e do governo civil. Cá fora, no terreno, o único elemento que ainda nos separa da barbárie e da anarquia mantém na Quinta da Fonte uma guarda de 24 horas por dia com metralhadoras e coletes à prova de bala. Provavelmente, enquanto arriscam a vida neste parque temático de incongruências socio-políticas, os defensores do que nos resta de ordem pensam que ganham menos que um desses agregados familiares de profissionais da extorsão e que o ordenado da PSP deste mês de Julho se vai ressentir outra vez da subida da Euribor

terça-feira, julho 15, 2008

A GALINHA JOAQUINA



























Esta história foi-me enviada por e-mail e eu decidi partilhar no blog porque embora não seja vegetariana tenho consciência que matamos seres vivos para nosso prazer e que na ganância de ganhar dinheiro inventamos formas crueis de sacrificar os animais...

A história da galinha Joaquina.
A Joaquina vive na quinta da minha Mãe, juntamente com mais 6 galinhas, 4 coelhos, 5 gatos e 6 cadelas, todos resgatados de situações de risco.
Todos os animais da quinta se dão bem: gatos, galinhas e cães, todos andam em liberdade e convivem pacificamente.
Mas um dia recebemos na quinta um visitante inesperado: uma águia. A águia atacou a Joaquina, que ficou completamente paralisada, sem controle dos movimentos das patas.
Todos foram de opinião que era necessário sacrificar a galinha: seria impossível ela algum dia voltar a andar.
Mas a minha Mãe pegou na desorientada Joaquina ao colo, olharam ambas fixamente uma para a outra, e o veredicto da minha Mãe foi este: "Não, esta galinha ainda tem vida, há que lutar por ela."
A Joaquina foi viver para dentro de casa e começou o seu período de recuperação. Foram 4 meses de tratamentos diários.
Houve períodos difíceis, em que os tratamentos veterinários se revelaram praticamente ineficazes e os progressos eram lentos e pouco seguros. Mas a minha Mãe não duvidou um só dia de que a Joaquina iria um dia voltar a andar. Não sei se foram as massagens e fisioterapia, os medicamentos naturais ou a cadeirinha improvisada que o meu padrasto construiu, ou se foi a obstinação da minha Mãe e a força de vontade da Joaquina que operaram este pequeno milagre: o que é certo é que após 4 meses de quase imobilidade a Joaquina começou a dar os primeiros passos.
Criou-se entre a Joaquina e a minha Mãe uma cumplicidade curiosa. É engraçado ver a minha Mãe passar atarefada nos trabalhos da quinta com uma galinha a segui-la com uns passitos trémulos e esvoaçantes.
A Joaquina gosta de festas, de estar perto de nós e de esperar que acabemos de lanchar para comer as migalhas do pão. Conhece perfeitamente o nome dela e aprendeu a esconder-se debaixo dos arbustos quando ouve o piar das águias.
Quando vejo a Joaquina esgravatar o chão com as suas ainda frágeis e recém funcionantes patas e sacudir as asas ao sol lembro-me sempre das galinhas de bateria, que vivem as suas curtas e miseráveis vidas fechadas em cubículos do tamanho de uma folha A4, sem se poderem mexer e nem sequer abrir as asas, com os bicos mutilados e sem verem a luz do dia, com o único propósito de fornecer ovos e carne para alimentação humana.
Penso nos milhões de animais que são torturados e mortos todos os anos para o mesmo fim. Penso que os animais que conseguimos salvar na quinta serão sempre poucos, que nunca conseguiremos sequer arranhar a superfície do problema e que a mudança fundamental na mentalidade das pessoas tarda demais a chegar...
Mas depois recebo uma notícia como a que vos encaminho abaixo, e que, apesar de ser apenas um passo minúsculo, é um passo na direcção certa. E sinto um novo ânimo...
Abraço a todos,
Maria

Empresas lusas recebem prémio "Bons Ovos"
Enquanto 98% das galinhas em Portugal continuam em gaiolas de bateria.
Partilhe esta notíciaEmpresas portuguesas recebem prémio "Bons Ovos", enquanto 98% das galinhas em Portugal continuam em gaiolas de bateria.
Esta terça-feira, as empresas portuguesas Biocoop, Biomiosótis e Naturocoop e as multinacionais a operar em Portugal, Unilever (maioneses e molhos Calvé) e McDonald's, recebem em Lisboa o prémio "Bons Ovos" numa cerimónia a realizar no auditório do Espaço Monsanto (Parque Florestal de Monsanto), com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa.
Estes prémios são oferecidos pela Compassion in World Farming, associação internacional líder na protecção dos animais de criação, com o objectivo de "felicitar e publicitar as empresas que não se aprovisionam de ovos de bateria ou que deixarão de o fazer até 2012".
Através dos prémios atribuídos este ano a cerca de 50 empresas europeias, cerca de 10 milhões de galinhas poedeiras serão libertas das gaiolas, elevando-se para mais de 15 milhões o número de galinhas soltas desde a criação dos Prémios Bons Ovos.
Na cerimónia, será aberta uma gaiola por crianças da Junta de Freguesia de Santa Engracia contendo 15 balões em forma de galinha (simbolizando os 15 milhões de galinhas libertadas até agora).
A tendência crescente da procura de ovos produzidos de forma ética poderá deixar para trás os mais de 3⁄4 de produtores europeus que continuam a usar gaiolas de bateria.
Se em países como a Áustria, onde a maior parte das galinhas são criadas ao ar livre, 30% continuam ainda em gaiolas, em Portugal e Espanha a percentagem eleva-se a 98%.
Embora os consumidores portugueses manifestem cada vez mais o desejo de adquirir ovos de galinhas não criadas em gaiolas, Portugal ocupa o último lugar (em conjunto com a Espanha) no quadro da liga de produção de ovos "ar livre".
No entanto, o anúncio de hoje mostra que a indústria alimentar está a abandonar as gaiolas de bateria e quer mais ovos produzidos ao ar livre.
"Os vencedores dos prémios "Bons Ovos" estão a abandonar os ovos de galinhas criadas em gaiolas em todo o tipo de produtos . Desde os bolos e molhos, até à maionese, os consumidores que procuram ovos produzidos de forma ética, poderão finalmente encontrá-los nos produtos destas empresas", afirma Bárbara Dias Pais, Coordenadora de Campanhas para o Sul da Europa da Compassion in World Farming.
Em toda a Europa, são criadas mais de 300 milhões de galinhas para a produção de ovos.
Mais de 3⁄4 destes animais vivem confinados em minúsculas gaiolas que não lhes permitem expressar os comportamentos naturais da espécie, (tais como estender as asas, picar o solo, empoleirar-se e fazer o ninho) e nas quais o espaço que cada uma dispõe é inferior a uma folha de papel A4.

terça-feira, julho 08, 2008

violência doméstica







Malas directas para: relatar violência doméstica

Chocante.
Essa é a palavra com que se pode descrever esta mala directa da Organização Chinesa contra a violência doméstica, desenvolvida pela Agência DDB Shanghai. Mas não é uma simples carta. Antes de abrir a mala directa, já se vê um filete de ’sangue’ derramando.
Continuando a abrir o envelope, nota-se que ele forma uma imagem 3D de uma sala, onde um incidente de violência doméstica está decorrer ( um homem agarrando a mulher pelos cabelos, enquanto lhe bate com uma cadeira com tal força que a perna da mesma se parte). Essa cena foi pensada assim mesmo, para chocar as pessoas e incentivarem à denunciar estas violências covardes.
Seria bom que em Portugal se produzi-se algo tão forte que motiva-se as pessoas a denunciar estes actos de brutalidade que muitas vezes se escondem por detrás de uma família tradicional...

segunda-feira, junho 30, 2008

URBANARTES e Exposição do Alunos de Pintura




e no mês de Julho a Junta de Freguesia de S. João de Brito promove....
"CONCENTRADO POP" uma exposição dos alunos de pintura que assim falam pictoricamente sobre um dos estilos de arte
"URBANARTES" a feira de artesanato urbano que acontece aos 3ºs sábados de cada mês no Largo Frei Heitor Pinto em Alvalade

sexta-feira, junho 27, 2008

Alma Lusa







Embora Portugal não esteja nos seus melhores momentos, aqui fica um registo de que o povo é a nação, de que o povo é bairrista, de que o povo é verde e vermelho

segunda-feira, junho 16, 2008

As minhas t-shirts na próxima URBANARTES




mais duas camisolas das muitas que estão prontas para a feira de dia 21 de Junho

uns são filhos... os outros são enteados



Temos de divulgar para que este país saiba quem é que nos anda a tramar e quais são os filhos e quais são os enteados

Teixeira Pinto vai receber uma pensão anual de 500 mil euros até ao final de vida





BCP perdeu mil milhões em três dias
Paulo Teixeira Pinto recebeu 10 milhões à cabeça
18.01.2008 - 08h57 Cristina Ferreira, PÚBLICO
O ex-presidente da comissão executiva (CEO) do Banco Comercial Português (BCP), Paulo Teixeira Pinto, saiu há cinco meses do grupo com uma indemnização de 10 milhões de euros e com o compromisso de receber até final de vida uma pensão anual equivalente a 500 mil euros.
VERGONHOSO

O PAÍS INTEIRO PRECISA DE SABER......
Com 46 anos... Inapto por Junta Médica... Hein!... ( qual será a doença dele?) Diz-se ainda que com reforma de 35.000€ mensais... O nosso problema continua a ser a distribuição de riqueza...O problema não está nos funcionários públicos...
Afinal foram só..... 9,732 milhões (coitadinho)

As notícias que dão conta da desumanidade das juntas médicas são manifestamente exageradas.
Afinal há quem não se queixe das mesmas. Ontem mesmo, em carta enviada ao Público, Paulo Teixeira Pinto indica que passou "à situação de reforma em função de relatório de junta médica". Certamente ainda mal refeito da forma como foi corrido do BCP e da Opus Dei, este banqueiro de 46 anos foi considerado inapto para o trabalho, apesar de já ter arranjado um cargo numa consultora financeira.( afinal está doente ou não está doente? é que não é pela idade que se está a reformar) Teixeira Pinto nega ter recebido 10 milhões de euros de "indemnização pela rescisão do contrato" com o BCP, garantindo que apenas recebeu a '"remuneração total referente ao exercício de 2007": 9.732 milhões de euros em "compensações" e "remunerações variáveis".

Estas juntas médicas são as mesmas que recusam reformas a Professores com Cancro. ....Mas o Governo não sabe disto ? Façam andar até isto chegar a alguém......